Search post, tags and authors
Web 3.0: Inovação e Progresso no Mundo das Criptomoedas

Web 3.0: Inovação e Progresso no Mundo das Criptomoedas

By Oreld Hadilberg
Reviewed by Tony Spilotro

Tabela de conteúdos

O que é a Web 3.0?

A Web3 representa a versão descentralizada da Internet,estabelecendo ligações directas entre os utilizadores e várias interacções digitais. No nosso foco em serviços financeiros, ela se destaca por ser a plataforma que possibilitou o surgimento da tecnologia blockchain. Essa inovação possibilita a tokenização de bens físicos em versões digitais e a criação de ativos digitais como criptomoedas, criptoativos, NFTs, entre outros.

Além disso, a Web3 aproveita os avanços tecnológicos como a inteligência artificial e o machine learning para melhorar a inteligência artificial e o machine learning para melhorar a eficiência na pesquisa e facilitar a interação entre os utilizadores, nomeadamente através de conceitos como o metaverso.

Esta evolução da Web está a redefinir a forma como interagimos com a informação e os serviços em linha, promovendo a descentralização serviços em linha, promovendo a descentralização e uma maior participação ativa dos utilizadores na criação e gestão de bens em linha. dos utilizadores na criação e gestão de bens digitais.

Diferenças entre Web 1.0, Web 2.0 e Web 3.0.

Web 1.0:

-Era da década de 1980 até o início dos anos 2000.

-Nasceu com a investigação de protocolos da Agência de Projectos de Investigação Avançada da Defesa dos EUA.

-Agência de Projectos de Investigação Avançada da Defesa (DARPA).

-Estabeleceu os primeiros protocolos Web, como o HTTP, o SMTP e o FTP.

-Era uma Web distribuída que funcionava com dados estáticos.

Web 2.0:

-Surgiu nos últimos vinte anos.

-Permitiu aos utilizadores criar, partilhar e publicar conteúdos.

-Apesar de permitir a interação, é considerada uma web só de leitura.

Web 3.0:

-Representa o próximo passo evolutivo.

-Introduz muito mais interatividade e utiliza algoritmos inteligentes.

-Permite uma interpretação avançada dos dados e serviços Web mais personalizados.

-Dá prioridade à privacidade e à descentralização.

-Os utilizadores têm maior controlo sobre os seus dados.

-Suporta aplicações descentralizadas e contratos inteligentes.

-Democratiza a Internet em diferentes aspectos.

Em suma, a Web 3.0 destaca-se pela sua maior interatividade, foco na privacidade,descentralização e a capacidade de interpretar dados de forma mais avançada em relação às versões anteriores.

Vantagens da Integração entre Criptomoeda e Web 3.0

-Transparência e Segurança:

A presença da tecnologia blockchain, que está na base das criptomoedas, traz um nível incomparável de transparência e segurança às transacções da Web 3.0. A informação torna-se imutável e facilmente acessível, reduzindo significativamente os riscos associados à fraude.

-Capacitação do consumidor:

A integração de criptomoedas concede aos utilizadores um maior controlo sobre os seus activos digitais e dados pessoais. A descentralização elimina a necessidade de depender de intermediários, dando aos consumidores maior autonomia e poder de decisão.

-Inovação e eficiência:

A conexão entre as criptomoedas e a Web 3.0 impulsiona a inovação e a eficiência em vários níveis. Os contratos inteligentes simplificam os processos, a tokenização democratiza o acesso aos activos e a identidade descentralizada redefine a forma como partilhamos informação.

O que são as criptomoedas da Web 3.0?

As criptomoedas da Web 3.0 representam moedas digitais descentralizadas que executam contratos inteligentes através da Internet, desempenhando importantes contratos inteligentes através da Internet, desempenhando um papel fundamental na segurança e no funcionamento de projectos baseados em blockchain.

Um exemplo proeminente é o Ether (ETH), a moeda oficial da cadeia de blocos Ethereum. Esta criptomoeda não só serve como meio de pagamento para transacções na blockchain, como compras e taxas de jogos, mas também ilustra a forma como as moedas Web 3.0 permitem a execução discreta de transacções, proporcionando aos utilizadores uma maior privacidade comparativamente às transacções realizadas na Web 2.0.

Neste contexto, os detentores de moedas Web 3.0 adquirem não só activos digitais, mas também uma parte significativa da Internet, o que demonstra a importância da descentralização e do empowerment dos utilizadores neste novo paradigma digital.

Como é que as criptomoedas da Web 3.0 diferem das outras criptomoedas?

O advento da Web 3.0 coincidiu com a época em que gigantes da tecnologia, como o Facebook e o Google, obtinham enormes lucros. O Facebook e o Google lucravam enormemente dominando a Internet e monetizando os dados pessoais dos utilizadores que utilizavam as suas plataformas e serviços.

Esta nova era da Web transforma este paradigma, dando aos utilizadores a propriedade dos seus dados e o direito de beneficiarem dos mesmos. Agora, qualquer pessoa pode vender os seus dados aos anunciantes e, ao mesmo tempo, preservar a propriedade e a privacidade dessa informação.

A inovação da Web 3.0 permite que os utilizadores acedam a múltiplas redes sociais e plataformas em linha com uma única conta, eliminando a necessidade de ter várias contas para diferentes serviços.

É importante notar que a Web 3.0 não se refere exclusivamente a uma blockchain ou a uma criptomoeda específica; representa, sim, uma versão descentralizada da Internet que requer moedas criptográficas para aceder aos seus vários serviços.

Além disso, tanto a Web 3.0 como as criptomoedas associadas operam em cadeias de blocos públicas, partilhando semelhanças entre si, bem como com outras

A Web 3.0 e as criptomoedas associadas funcionam em cadeias de blocos públicas, partilhando semelhanças entre si e com outras cadeias de blocos públicas, partilhando semelhanças como a falta de fiabilidade, a descentralização,igualdade de acesso e tecnologia de fonte aberta.

Entre os serviços oferecidos pela Web 3.0 e que utilizam moedas específicas estão o armazenamento de dados, a infraestrutura de dados e a utilização de criptomoedas.

armazenamento de dados, infraestrutura de rede, indexação de dados, largura de banda e partilha de energia, bem como a e troca de energia, bem como redes sociais, tokens não fungíveis (NFTs), jogos de blockchain (NFT), jogos de blockchain, entre outros, que continuam a crescer.

Apesar da turbulência na esfera das criptomoedas devido ao crypto winter e à falência de players importantes, estão a surgir inúmeros projectos Web 3.0. Perante esta evolução, é fundamental conhecer as principais criptomoedas Web 3.0, tendo em conta a sua utilidade, tração contínua e efeito de rede na tomada de decisões de investimento.

Exemplos de criptomoedas com tecnologia Web 3.0

1)Ethereum, a blockchain pioneira para contratos inteligentes, tem mantido sua posição de liderança no mercado de criptomoedas. Esta blockchain de código aberto destaca-se como a rede mais utilizada, suportando uma grande variedade de aplicações descentralizadas (DApps) e finanças descentralizadas (DeFi), solidificando a sua posição como um dos principais actores da era da Web 3.0.

Num desenvolvimento recente, o Ethereum passou por uma atualização significativa conhecida como "The Merge", marcando a mudança de um mecanismo de consenso de prova de trabalho para um mecanismo de prova de participação. Esta transição contribuiu para manter a preferência dos utilizadores pelo Ethereum como a cadeia de blocos de eleição.

Para além da sua adaptabilidade, o Ethereum destaca-se como o lar de alguns dos principais mercados de tokens não fungíveis (NFT), incluindo o OpenSea. Este último é reconhecido por hospedar a famosa coleção NFT do Bored Ape Yacht Club (BAYC), consolidando ainda mais a posição da Ethereum no ecossistema criptográfico.

2)A Filecoin destaca-se como uma rede de armazenamento peer-to-peer descentralizada que permite aos utilizadores ganharem FIL, o seu token nativo, ao disponibilizarem espaço em excesso nos seus computadores.

Esta plataforma oferece aos utilizadores vários benefícios, incluindo espaço para armazenar bens digitais, como música e arte, especialmente sob a forma de tokens não fungíveis (NFTs). No ambiente Filecoin, qualquer indivíduo ou centro de dados tem a capacidade de se tornar um fornecedor de armazenamento, desde que tenha o espaço em disco necessário e acesso à Internet.

O número de tokens e as taxas de transação que os utilizadores podem ganhar através do Filecoin estão diretamente ligados à quantidade de espaço em disco que oferecem na rede. Este modelo proporciona uma forma descentralizada e eficiente de os participantes beneficiarem dos seus recursos informáticos subutilizados.

3)Surgem debates em vários sectores sobre se a Solana, cuja moeda nativa é o $SOL, desempenha um papel central na arquitetura da Web 3.0. Orgulhosamente proclamada como a alternativa ao Ethereum ou o "assassino do Ethereum", Solana ganhou um sólido seguimento na comunidade blockchain, principalmente devido à sua excecional escalabilidade e custos de transação mais baixos.

Além disso, várias comunidades de tokens não fungíveis (NFT) estão a escolher Solana em vez de Ethereum para os seus projectos. Exemplos notáveis incluem Infinity Labs, Cets on Creck, Okay Beas e Degenerate Academy of Apes. A escolha de Solana por essas comunidades destaca a preferência crescente por este blockchain, enfatizando seu apelo em termos de eficiência e suporte para projetos inovadores no espaço de criptomoeda e NFT.

Na Margex, apoiamos essas criptomoedas e sua tecnologia, permitindo que você negocie com elas. Por fim, não se esqueça de seguir todos os nossos canais de mídia social: Telegrama, Discord, Twitter.